#5

Zelota
  cjt | 18.09.2018

Deleatur

É fa­cí­limo, basta apa­nhar-lhe o jeito, quem olhar dis­trai­da­mente cui­dará que a mão vai traçar o ter­rível cír­culo, mas não, re­pare que não re­matei o mo­vi­mento aqui onde o tinha co­me­çado, passei-lhe ao lado, por dentro, e agora vou con­ti­nuar para baixo até cortar a parte in­fe­rior da curva, afinal o que pa­rece mesmo é a letra Q maiús­cula, nada mais

– José Sa­ra­mago, Me­mo­rial do Con­vento”

O que o Ze­lota pa­rece não en­tender é que a prin­cipal di­fe­rença entre nós não é cau­sada pela di­ver­gência de opi­niões. É antes cau­sada pela minha de­fesa in­tran­si­gente do seu di­reito ina­li­e­nável a ex­primir a sua opi­nião, apesar de saber que cer­ta­mente o Ze­lota me ca­laria mal sen­tisse o mais leve aroma do poder. Talvez cada um de nós tenha o que me­rece.

Para ler:   Anacoreta